Consultas: 71 3036-4040 | 71 3036-4141

Zumbido

Zumbido é o som percebido nos ouvidos ou cabeça na ausência de estímulos sonoros externos. Ele pode assemelhar-se a diversos sons como apito, chiado, cigarra, grilo, abelha, cachoeira, motor, sirene, panela de pressão, etc. Mais raramente, o zumbido é rítmico, parecendo-se com batidas do coração, cliques e “asas de borboleta”. Não tão raro, acomete 17 a 24% da população em alguns países. Possivelmente, pelo menos 28 milhões de brasileiros já vivenciaram este sintoma em alguma circunstância. O zumbido não é uma doença, é um sintoma, que pode ter diversas causas, sejam elas provocadas por doenças localizadas no sistema auditivo ou por outras doenças originadas em outros órgãos que acabam por influenciar o ouvido secundariamente.

Podemos relacionar algumas das principais causas de zumbido:

- originadas no sistema auditivo;
- alterações no metabolismo (p.ex.: do açúcar, de gorduras e deficiência de vitaminas);
- alterações hormonais (p.ex.: tireóide);
- alterações cardiovasculares;
- doenças neurológicas;
- distúrbios psiquiátricos;
- alterações odontológicas;
- alterações musculares da região de cabeça e pescoço;
- alterações psicológicas.


Assim, um histórico médico e exame físico detalhados são essenciais, onde serão investigados os diversos aspectos de cada indivíduo, com o objetivo de esclarecer: as características (tempo de aparecimento, tipo, localização); os fatores predisponentes; sintomas associados (perda auditiva, tontura, sensação de ouvido cheio, oscilação da audição, sensibilidade aumentada a sons, ansiedade, depressão); antecedentes do paciente (p.ex. profissão, exposição a ruído, medicações, doenças concomitantes, cirurgias, bruxismo, problemas na coluna cervical, dores de cabeça, entre vários outros itens); hábitos e estilo de vida (abuso de cafeína, consumo de doces, dieta inadequada) e antecedentes familiares (p.ex. diabetes, surdez, labirintite, etc.). A investigação prossegue com a solicitação dos exames complementares de forma individualizada: exames para avaliação do sistema auditivo, exames laboratorias e exames de imagem se necessários.


Tratamento do zumbido

O tratamento do zumbido é personalizado e está diretamente relacionado à identificação de cada um dos fatores causais.

Infelizmente, não existe uma “fórmula mágica” que seja “universal” e “incontestável”, que se aplique satisfatoriamente a todos os casos de zumbido. Conforme dito anteriormente, diversas condições de saúde podem cursar com zumbido, o que faz dele um sintoma comum a várias doenças. Desta maneira, os tratamentos propostos devem ser planejados baseados na(s) sua(s) causa(s). Tratar o zumbido com o uso de medicamentos é apenas uma das alternativas de tratamento. Alguns melhoram com medicamentos e outros, com tratamentos não-medicamentosos como: dieta; mascaramento; TRT (tinnitus retraining therapy ou terapia de retreinamento do zumbido, ou ainda, terapia da habituação); adaptação de aparelhos para audição ou para zumbido; estimulação magnética transcraniana; fisioterapia (com busca e tratamento de pontos dolorosos específicos relacionados ao zumbido); psicoterapia e entre outros não tão convencionais.

Fonte: http://www.institutoganzsanchez.com.br/zumbido.html