Consultas: 71 3036-4040 | 71 3036-4141

Cirurgias de Reabilitação Auditiva

ESTAPEDOMIA
É a cirurgia para Otosclerose - doença hereditária, caracterizada por surdez progressiva, do tipo condutivo. O tratamento clínico, raramente indicado, serve apenas para impedir o agravamento do caso. Para melhora auditiva o paciente pode optar por aparelho de amplificação sonora ou cirurgia. Na cirurgia, um ossículo da audição chamado estribo está “calcificado” impedindo a progressão sonora quando a membrana timpânica é atingida pelo som. O estribo é substituído por uma prótese, que é fixada em torno da bigorna, e entra no labirinto através de pequena perfuração feita na platina do estribo, restaurando­ assim a mobilidade da cadeia de ossos do ouvido. A cirurgia é realizada por dentro do ouvido sem cortes externos evidentes.

Anestesia: geral
Tempo de internamento: 12 horas (Day hosptal)
Complicações: São muito raras, mas como toda cirurgia tem seus riscos, podemos citar: infecção, dor, perda da audição, tonturas, zumbidos, alteração no paladar, paralisia facial e problemas anestésicos.

 

IMPLANTE COCLEAR
O que é o implante coclear?
É um dispositivo eletrônico com 2 componentes, um externo e outro interno(implantado cirurgicamente), que tem a função de captar o som do ambiente, processá-lo e transmití-lo através de estímulos elétricos para o nervo auditivo de pessoas com perda auditiva severa a profunda, fazendo com que estas reconheçam o som.

Como o implante coclear funciona?
O microfone capta o som e o envia para o processador que analisa e codifica o sinal sonoro transmitindo-o para a antena. A antena transmite o som através da pele para o dispositivo interno que vai atuar estimulando eletricamente as fibras remanescentes do nervo auditivo que segue seus estímulos até o cérebro fazendo com que a pessoa reconheça o som. O implante oferece ao usuário capacidades auditivas importantes e melhora da comunicação. O implante coclear é ativado cerca de 30 dias após a cirurgia. O paciente deve fazer mapeamento para ajustes de forma periódica além de reabilitação fonoaudiológica regular para conseguir o melhor resultado possível.

Quem pode se beneficiar com o implante coclear?
-
Adultos e crianças com perda auditiva severa a profunda sempre nos dois ouvidos.
- Indivíduos com perda auditiva acentuada e que não se beneficiaram com o aparelho auditivo.
- Candidatos sem contra-indicações clínicas para serem submetidos a cirurgia sob anestesia geral.
- Candidatos que entram nos critérios radiológicos, psicológicos e sociais do programa de implante coclear da instituição.
- Motivação pessoal e familiar.

 

Qual o tempo de internação e o tipo de anestesia?
Geralmente 24 horas. Anestesia geral

Quais complicações podem ocorrer?
São muito raras, mas como toda cirurgia tem seus riscos, podemos citar: infecção com extrusão do implante, dor, perda da audição, tonturas, zumbidos, alteração no paladar, paralisia facial e problemas anestésicos.

Resultados: podem variar de indivíduo para indivíduo, dependendo de inúmeros fatores como o tipo de perda auditiva, o tempo de surdez e a idade em que o implante foi feito. O seu medico poderá lhe orientar melhor quanto ao prognóstico esperado.